Exposição Temporária

HELENA ALMEIDA MUPI WEB

 

A Fundação de Serralves e a Câmara Municipal de Chaves convidam para a inauguração da exposição “Helena Almeida: Habitar a Obra – Coleção de Serralves”, no dia 07 de maio de 2019,  às 18h00, no Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso, em Chaves.

 

Com esta exposição, que parte de um importante núcleo representativo da obra de Helena Almeida na sua Coleção, Serralves pretende também homenagear a artista recém-falecida, após a grande exposição que lhe dedicou em 2015 e que nos dois anos seguintes viajou para o Jeu de Pomme, em Paris, para o Centro de Arte Contemporânea Wiels, de Bruxelas, e para o IVAM, em Valência.

 

Helena Almeida produziu desde a década de 1960 uma obra singular caracterizada por um marcado interesse pelo corpo, o seu lugar central – que regista, ocupa e define o espaço – e o seu encontro performativo com o mundo. Nas palavras da artista: “a minha obra é o meu corpo, o meu corpo é a minha obra”.

 

À inauguração seguir-se-á uma conversa entre Marta Moreira de Almeida, comissária da exposição, e Bernardo Pinto de Almeida, historiador de arte e conhecedor da sua obra, num renovado gesto de homenagem à artista.

 

separador-2

 

Helena Almeida produziu desde a década de 1960 uma obra singular caracterizada por um marcado interesse pelo corpo, o seu lugar central — que regista, ocupa e define o espaço — e o seu encontro performativo com o mundo. As primeiras telas abstratas da artista abordavam de forma crítica os limites do espaço pictórico e as condições literais da pintura. Esse interesse estendeu-se nos anos 1970 à fotografia, onde o inconfundível espaço do ateliê da artista e o corpo feminino, fragmentado ou parcialmente obscurecido, se tornaram presenças recorrentes. É o caso da obra Sem título, de 1994-95, que integra esta exposição: uma sequência fotográfica de vinte elementos onde a artista se fez fotografar a distâncias várias e onde a escala e o número de elementos que a constituem, associados à dimensão espacial que sobressai do percurso/performance da artista pelo espaço fotografado, revelam uma abordagem inovadora à relação do corpo com o espaço.


Apesar de trabalhar em meios vários, a artista delineia meticulosamente esta coreografia e a composição de muitas das suas obras em estudos e desenhos preparatórios que evidenciam a sua utilização da cor e o poder psicológico do corpo humano. Nas palavras de Helena Almeida: "a minha obra é o meu corpo, o meu corpo é a minha obra”.

 

separador web

EXPOSIÇÕES REALIZADAS

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA NADIR AFONSO
27 outubro de 2018 a 28 de abril 2019

EMA BERTA0 

EMA BERTA

A Luminosa Exaltação das Sombras

 

 

 

Folha de Sala-ema

Folha de Sala Ema Berta texto-pt

Folha de Sala Ema Berta texto - ing

 

 

separador web

 

 

3 GERAÇÕES

CARLOS BARREIRA

CRISTINA VALADAS

JOÃO RIBEIRO

 

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA NADIR AFONSO
27 outubro de 2018 a 28 de abril 2019

 

Folha de Sala 3G HR

 

Folha de Sala 3G HR-texto-pt

 

Folha de Sala 3G HR-tx2

 

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar