Passar para o Conteúdo Principal

brasao cm chaves

pesquisar
 

Projetos Cofinanciados - Portugal 2020

BANNER_PROJETOS_2020_C

  • Adutoras de ligação entre o sistema em alta (Alto Rabagão) e os sistemas de abastecimento em baixa-Adutoras de Bustelo, Soutelo e Vilela Seca

    POSEUR_2020_UE_690B

    Designação do projeto  Adutoras de ligação entre o sistema em alta (Alto Rabagão) e os sistemas de abastecimento em baixa-Adutoras de Bustelo, Soutelo e Vilela Seca

    Código do projeto  POSEUR-03-2012-FC-000327

    Objetivo principal  Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos

    Região de intervenção  Norte

    Entidade beneficiária  Município de Chaves

     

    Data de aprovação  27-02-2017

    Data de início  01-08-2016

    Data de conclusão  31-12-2018

    Custo total elegível  999.174,00€

    Apoio financeiro da União Europeia  FEDER/FC – 849.297,90€

    Apoio financeiro público nacional/regional  149.876,10€

     

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A presente operação visa assegurar o abastecimento de água em quantidade e qualidade a sete freguesias do concelho de Chaves (cerca de 3.500 habitantes) abastecidas até então exclusivamente por água proveniente de captações próprias. Estas povoações são servidas pelos sistemas de abastecimento de água (SAA) de Soutelo, de Bustelo e de Vilarinho da Raia que se têm revelado insuficientes face às necessidades atuais, com caudais reduzidos e de baixa qualidade.

    Face a este cenário o município de Chaves procurou encontrar soluções para estes problemas tendo concluído que a solução mais indicada passaria por assegurar um reforço ao abastecimento destes SAA a partir do abastecimento em alta do sistema do Alto Rabagão, propriedade das Águas do Norte. Assim serão construídas 3 adutoras, com origem nos pontos de entrega em “alta” das Águas do Norte, nomeadamente a adutora de Bustelo, na extensão de 3.320ml, a adutora de Soutelo, na extensão de 4.356ml e adutora de Vilela Seca na extensão de 3.057ml. Também está prevista nesta operação a construção de um reservatório com capacidade de 100m3 para SAA de Soutelo e trabalhos de substituição de equipamentos nos reservatórios dos SAA de Bustelo e Vilela Seca.

    Resultados esperados:

    • População adicional servida pelas melhorias do sistema de saneamento de águas residuais em baixa (1.947 pessoas);
    • Extensão de Rede de abastecimento de água construída (10,70 Km);
    • N.º de Estações Elevatórias construídas (2 Estações Elevatórias);
    • N.º de Reservatórios construídos nos sistemas de abastecimento de água apoiados (1 Reservatório);
    • N.º de Reservatórios remodelados nos sistemas de abastecimento de água apoiados (2 Reservatórios);
    • Redução das ocorrências de falhas no abastecimento em baixa (100%);
    • Alojamentos com adesão ao serviço em alta (76%). 

    BARRA_FINAL2

  • Beneficiação do Edificado do Bairro Social de Casas dos Montes (Reabilitação integral de 11 edifícios) - PAICD 3.2

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional


    Designação do projeto | Beneficiação do Edificado do Bairro Social de Casas dos Montes (Reabilitação integral de 11 edifícios) - PAICD 3.2

    Código do projeto | NORTE-05-4943-FEDER-000081
    Objetivo principal | Promover a Inclusão Social e Combater a Pobreza
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 10-07-2018
    Data de início | 24-04-2017
    Data de conclusão | 01-03-2020
    Custo total elegível | 1.992.969,18 €
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 1.694.023,80 €

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    Esta operação tem como principal objetivo dotar os 11 edifícios de habitação coletiva que integram o Bairro Social de Casas dos Montes, de melhores condições de habitabilidade através de obras de
    reabilitação, que visam sobretudo colmatar as várias patologias existentes no edificado, quer ao nível interior, como exterior, por forma a conferir maior conforto, segurança e dignidade aos moradores que aí habitam.
    Entende-se que este investimento contribuirá para melhorar as condições de conforto, salubridade e bem-estar das populações residentes, como ainda a imagem global da cidade (interna e externa), o que decerto potenciará a sua atratividade e revitalização socioeconómica, cultural e educativa.
    A intervenção visa a resolução de patologias existentes nos edifícios (apartamentos da CMChaves e zonas comuns), através da reparação de pavimentos, substituição de instalações sanitárias, reparação da rede de abastecimento de água, saneamento e rede elétrica, reparação de carpintarias, reparação de paredes e tetos, cozinhas, substituição de coberturas e caixilharias, melhoria do isolamento térmico, melhorias da rede de águas pluviais e pinturas.
    Considera-se expectável que a concretização desta operação, além de elevar o nível de conforto e segurança dos moradores que habitam o bairro de Casas dos Montes, conferindo-lhe melhores condições de habitabilidade, melhore substancialmente a imagem desta zona da cidade, gerando impactos bastantes positivos no contexto urbano onde se insere.
    Neste contexto, cumprindo-se as metas previstas, a intervenção em causa irá contribuir para a concretização dos indicadores (de realização e resultado), enunciados no ponto 1.3 do AVISO Nº NORTE-43-2016-18, nos seguintes termos:

    Indicadores de Realização:
    Habitações reabilitadas em áreas urbanas - Dado que a operação em questão consiste na beneficiação de 57 habitações/apartamentos do bairro social de Casas dos Montes, considera-se que o valor de referência é zero e que a meta será 57 unidades, correspondentes ao número de apartamentos a reabilitar.

    Indicadores de Resultado:
    Aumento do grau de satisfação dos residentes nas áreas intervencionadas- A meta será avaliada em função da média dos resultados obtidos às respostas dos inquéritos de satisfação globais, que serão feitos posteriormente à disponibilização do modelo pela Autoridade de Gestão.

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Beneficiação do Edificado do Bairro Social dos Fortes (Reabilitação integral de 13 moradias da CMC) - PAICD 3.1

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Beneficiação do Edificado do Bairro Social dos Fortes (Reabilitação integral de 13 moradias da CMC) - PAICD 3.1

    Código do projeto | NORTE-05-4943-FEDER-000080
    Objetivo principal | Promover a Inclusão Social e Combater a Pobreza
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 10-07-2018
    Data de início | 24-04-2017
    Data de conclusão | 01-03-2020
    Custo total elegível | 430.964,59 €
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER - 366.319,90 €

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    Esta operação tem como principal objetivo dotar 13 moradias do Bairro Social dos Fortes, de melhores condições de habitabilidade através de obras de reabilitação, que visam sobretudo colmatar as várias patologias existentes no edificado, quer ao nível interior, como exterior, por forma a conferir maior conforto, segurança e dignidade aos moradores que aí habitam.

    Entende-se que este investimento contribuirá para melhorar as condições de conforto, salubridade e bem-estar das populações residentes, como ainda a imagem global da cidade (interna e externa), o que decerto potenciará a sua atratividade e revitalização socioeconómica, cultural e educativa.
    Com a concretização desta intervenção serão solucionadas patologias existentes nas moradias, através da reparação/substituição de pavimentos, reparação/substituição de cozinhas, substituição de instalações sanitárias, reparação da rede de abastecimento de água, saneamento e rede elétrica, reparação de carpintarias, reparação de paredes e tetos, substituição de coberturas e caixilharias, melhoria do isolamento térmico, melhorias da rede de águas pluviais e pinturas.

    Considera-se expectável que a concretização desta operação, além de elevar o nível de conforto e segurança dos moradores que habitam o bairro dos Fortes, conferindo melhores condições de
    habitabilidade, melhore substancialmente a imagem desta zona da cidade, gerando impactos bastantes positivos no contexto urbano onde se insere.
    Neste contexto, cumprindo-se as metas previstas, a intervenção em causa irá contribuir para a concretização dos indicadores (de realização e resultado), enunciados no ponto 1.3 do AVISO Nº
    NORTE-43-2016-18, nos seguintes termos:

    Indicadores de Realização:
    Habitações reabilitadas em áreas urbanas - Dado que a operação em questão consiste na beneficiação de 13 moradias do bairro dos Fortes, considera-se que o valor de referência é zero e que a meta será 13 unidades, correspondentes ao número de moradias a reabilitar.

    Indicadores de Resultado:
    Aumento do grau de satisfação dos residentes nas áreas intervencionadas- A meta será avaliada em função da média dos resultados obtidos às respostas dos inquéritos de satisfação globais, que serão feitos posteriormente à disponibilização do modelo pela Autoridade de Gestão.

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Beneficiação do Espaço Público do Bairro Social de Casas dos Montes – PAICD 3.3

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional


    Designação do projeto | Beneficiação do Espaço Público do Bairro Social de Casas dos Montes – PAICD 3.3

    Código do projeto | NORTE-05-4943-FEDER-000082
    Objetivo principal | Promover a Inclusão Social e Combater a Pobreza
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 10-07-2018
    Data de início | 02-01-2018
    Data de conclusão | 01-03-2020
    Custo total elegível | 105.986,16 €
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER - 90.088,24 €

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    Esta operação tem como principal objetivo, garantir os princípios funcionais e de acessibilidade, bem como a princípios estéticos e de qualidade ambiental, que visam a valorização paisagística dos arruamentos e espaços verdes de enquadramento dos 7 blocos de habitação coletiva que integram o Bairro Social de Casas dos Montes. Com a reabilitação deste espaço público, prevê-se contribuir significativamente para o aumento da segurança, condições de conforto e bem-estar dos moradores/usuários deste bairro, para a prevenção de comportamentos ilícitos, bem como para a melhoria do ambiente urbano, o que decerto potenciará a atratividade e revitalização socioeconómica, cultural e educativa desta zona da cidade, e contribuirá para a melhoria da qualidade de vida da população local e para a redução, se não mesmo eliminação, do sentimento de exclusão social que frequentemente recai sobre este tipo de aglomerado habitacional.

    A intervenção visa garantir questões funcionais e de acessibilidade, bem como princípios estéticos e de qualidade ambiental, que contribuam para a valorização paisagística dos arruamentos e dos espaços verdes. Prevê a reestruturação de todos os acessos aos edifícios e a reabilitação e valorização dos espaços verdes, dotando-os de melhores condições de utilização, e tornando-os em espaços de estadia e convívio, aprazíveis e atrativos.

    Considera-se expectável que a concretização desta operação, além de elevar o nível de conforto dos moradores que habitam o bairro social de Casas dos Montes, conferindo-lhe melhores condições de habitabilidade, melhore substancialmente a imagem desta zona da cidade, e o usufruto do espaço público envolvente, gerando impactos bastantes positivos no contexto urbano onde se insere.
    Neste contexto, cumprindo-se as metas previstas, a intervenção em causa irá contribuir para a concretização dos indicadores (de realização e resultado), enunciados no ponto 1.3 do AVISO Nº
    NORTE-43-2016-18, nos seguintes termos:

    Indicadores de Realização:
    Espaços abertos criados ou reabilitados em áreas urbanas – Dado que a operação em questão consiste na reabilitação do espaço público do Bairro social de Casas dos Montes, considera-se que o valor de referência é zero e que a meta será 7.000,00 m2 (correspondente à área sujeita a intervenção).

    Indicadores de Resultado:
    Aumento do grau de satisfação dos residentes nas áreas intervencionadas- A meta será avaliada em função da média dos resultados obtidos às respostas dos inquéritos de satisfação globais, que serão feitos posteriormente à disponibilização do modelo pela Autoridade de Gestão.

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Cadastro de Redes de Abastecimento de Água e Drenagem de Águas Residuais do Concelho de Chaves

    Financiado por:

    POSEUR 2020

     

    Designação do projeto | Elaboração do Cadastro de Redes de Abastecimento de Água e Drenagem de Águas Residuais do Concelho de Chaves

    Código do projeto | POSEUR-03-2012-FC-000068
    Objetivo principal | Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 28-06-2016
    Data de início | 02-01-2017
    Data de conclusão | 31-12-2018
    Custo total elegível | 492.000,00€
    Apoio financeiro da União Europeia | Fundo de Coesão – 418.200,00€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos


    A operação permitirá um conhecimento aprofundado das redes de infraestruturas de abastecimento de água e saneamento de águas residuais existentes no concelho de Chaves, apoiado tecnologias SIG, constituindo uma ferramenta de intervenção na gestão, manutenção e planeamento.
    O trabalho será desenvolvido em 3 fases: a execução de Ortofotomapas à escala 1:2000, o levantamento das infraestruturas propriamente ditas e a criação do Sistema de Gestão.
    Pretende-se que com a implementação desta operação haja uma melhoria substancial da eficiência dos serviços, do serviço prestado, permitindo ainda diminuir perdas de eficiência e perdas financeiras resultantes, por exemplo, da perda de água no abastecimento público e diminuir o caudal do efluente de águas residuais derivado de infiltrações resultantes do mau estado das caixas de visita e condutas.

    Resultados esperados:
    (i) Taxa de Cobertura do Cadastro referente à extensão da rede de Saneamento de Águas Residuais (SAR) – 100% (2018);
    (ii) Taxa de Cobertura do Cadastro referente à extensão da rede de Abastecimento de Água (AA) – 100% (2018);
    (iii) Extensão da rede de Saneamento de Águas Residuais cadastrada (SAR) – 450km (2018);
    (iv) Extensão da rede de Abastecimento de Água cadastrada (AA) – 750km (2018);
    (v) Grau de incremento no Índice de Conhecimento Infraestrutural de Saneamento Águas Residuais (SAR) – 40,25% (2019);
    (vi) Grau de incremento no Índice de Conhecimento Infraestrutural de Abastecimento de Água (AA) – 85,93% (2019).

     

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

  • Centro Cívico (PARU 2.3)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Centro Cívico (PARU 2.3)

    Código do projeto | NORTE-05-2316-FEDER-000108
    Objetivo principal | Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos;
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 16-04-2018
    Data de início | 02-11-2018
    Data de conclusão | 01-03-2020
    Custo total elegível | 263.556,00€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 224.022,60€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A operação visa levar a cabo a materialização do Centro Cívico, que funcionará, após obras de reabilitação e ampliação, no edifício da antiga cantina social. Com a intervenção será colmatada uma carência sentida na cidade, no que diz respeito à existência de um espaço central, vocacionado para a realização de pequenas atividades culturais e de lazer e, responder às expectativas da população, de se dar um uso adequado a um edifício de referência.
    Considera-se objetivo básico e central da intervenção, a reabilitação e ampliação de um edifício de referência no centro da cidade de Chaves, concretamente no Largo Maria Rita, para criação de um espaço destinado a Centro Cívico, onde poderão realizar-se pequenas atividades culturais, de convívio e lazer, dotando o edifício em causa, de capacidade para responder adequadamente às exigências das funções preconizadas ao nível do conforto, polivalência e da atratividade dos espaços.
    Constituem ainda objetivos genéricos e complementares desta operação:
    • Qualificar e integrar um edifício de interesse para a cidade e, concomitantemente, criar um equipamento coletivo de forte identidade urbana, favorecendo e consolidando a centralidade do Centro Histórico de Chaves;
    • Reforçar a diversidade funcional no Centro Histórico de Chaves;
    • Contribuir para a sustentabilidade económica, funcional e patrimonial de edifícios pertencentes ao domínio municipal.
    • Garantir a existência de um equipamento de utilização coletiva, incluindo o espaço verde envolvente, vocacionado para uma utilização por parte de todas as fachas etárias da população.

    A intervenção em causa consubstancia a realização de obras da seguinte natureza:
    - Reconstrução e ampliação do edifício existente por forma a readapta-lo programaticamente para o adequado funcionamento enquanto Centro Cívico;
    - Arranjo exterior do “Jardim Maria Rita”, servindo de local de “descompressão”, incluindo tratamento paisagístico de toda envolvente exterior do edifício e reorganização dos acessos à via pública.
    Em termos programáticos, o Centro Cívico contempla a criação dos seguintes espaços/áreas:
    - Sala de Convívio/atividades, (em remodelação/adaptação do edifício pré-existente);
    - Sala de Leitura e Sala de Eventos, (em volume novo, interligado ao edifício existente);
    - Instalações Sanitárias para o conjunto edificado (em edifício pré-existente);
    - Acessos e espaços de circulações, que interligam todo o edifício preexistente e ampliação;
    - Sala de Arrumos (em edifício pré-existente);
    - Instalações de Sanitários Públicos (em volume novo Independente);
    - Arranjo Exterior do “Jardim Maria Rita” para local de lazer e readaptação às “Novas Edificações”.

    Resultados esperados:
    (i) Edifícios públicos ou comerciais construídos ou renovados em áreas urbanas – 273,50 m2 (2020);
    (ii) Espaços abertos criados ou reabilitados em áreas urbanas – 846,00 m2 (2020);
    (iii) Aumento do grau de satisfação dos residentes que habitam em áreas com estratégias integradas de desenvolvimento urbano – 4 (2020).

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

  • CHAVES EM LINHA - Promoção das TIC na Administração e Serviços Públicos

    NORTE_2020

    Designação do projeto | CHAVES EM LINHA - Promoção das TIC na Administração e Serviços Públicos

    Código do projeto | NORTE-09-0550-FEDER-000061

    Objetivo principal | Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos

    Região de intervenção | Norte

    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 10-03-2017

    Data de início | 11-07-2016

    Data de conclusão | 31-07-2018

    Custo total elegível | 835.532,04 €

    Apoio financeiro da União Europeia Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional | 710.202,23 €

    Apoio financeiro público nacional/regional | 125.329,81 €

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos:
    A presente operação visa reorganizar e capacitar os serviços municipais, bem como dar apoio às juntas de freguesia e estabelecimentos escolares do concelho de Chaves, através de apoio presencial na utilização de novos soluções na área das TIC para a administração em linha, assentando na disponibilização de serviços públicos em linha, disponibilização de formulários na internet (possibilitando o preenchimento e submissão), mobilidade, digitalização documental, modelos descentralizados de atendimento e melhoria da eficiência de processos, comtemplando as seguintes ações:

    • Ação 1 - Reorganização e Capacitação dos serviços e centros de dados para computação em linha
    • Ação 2 - Desmaterialização, automatização e Interoperabilidade dos serviços municipais
    • Ação 3 - Veículo automóvel elétrico a utilizar nos serviços itinerantes
    • Ação 4 - Promoção e Divulgação dos serviços digitais "CHAVES EM LINHA
    • Ação 5 - Obras de adaptação de edifício para atendimento descentralizado

    Resultados esperados:

    1. Ações de divulgação na área da sociedade da informação dirigidas aos munícipes/ cidadãos ou empresas (15,00);
    2. Serviços da Administração Pública apoiados (1,00);
    3. Solicitações transmitidas pela internet através de formulários criados no âmbito da intervenção financiada, nos últimos 12 meses (1200,00);
    4. Solicitações transmitidas via sistemas de atendimento intermediados com a utilização de formulários criados no âmbito da intervenção financiada, nos últimos 12 meses (1000,00);
    5. Aumento do número de acessos ao “site” da entidade intervencionada (25000,00).

    BARRA_FINAL2

  • Construção de Abrigos de Passageiros da Rede TUC (PAMUS 5)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Construção de Abrigos de Passageiros da Rede TUC (PAMUS 5)

    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000121
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 20-07-2018
    Data de início | 03-09-2018
    Data de conclusão | 31-12-2019
    Custo total elegível | 106.742,00€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 90.730,70€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A presente operação visa a 36 (trinta e seis) novos abrigos de passageiros, em grande parte dos pontos de paragens servidos pelos TUC permitindo, deste modo, melhorar as condições funcionais (acessibilidade e comodidade) dos utilizadores dos transportes públicos de passageiros da cidade de Chaves, e desta forma contribuir para o incentivo à utilização dos transportes públicos em detrimento do automóvel privado.
    A presente operação apresenta os seguintes objetivos:
    i) Melhorar o conforto de utilização da rede de Transportes Urbanos de Chaves (TUC);
    ii) Incrementar o número de utilizadores da referida rede TUC;
    iii) Melhorar a urbanidade da cidade;
    iv) Potenciar a mobilidade com redução de emissões, tornando mais apelativa a utilização do transporte público e desincentivando a utilização do automóvel privado nas deslocações na área urbana.

    A intervenção em causa consubstancia a realização de obras da seguinte natureza:
    - Preparação dos locais de instalação dos abrigos, incluindo demolições (demolição, remoção, escarificação e fresagem dos vários tipos de pavimentos existentes nos passeios e na via) nas zonas de implantação do abrigos;
    - Construção de fundações;
    - Reconstrução de pavimentos;
    - Fornecimento e montagem/instalação dos abrigos;
    - Infraestruturas (readaptação de infraestruturas existentes).

    Resultados esperados:
    (i) Planos de mobilidade urbana sustentável implementados – 1 (2020)
    (ii) Corredores de elevada procura de transporte implementados – 1 (2020)
    (i) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88.787 Ton/CO2 (2023).

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

  • Construção do Centro Coordenador de Transportes (PAMUS 4)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Construção do Centro Coordenador de Transportes (PAMUS 4)
    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000189
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 21-02-2019
    Data de início | 12-12-2016
    Data de conclusão | 31-12-2020
    Custo total elegível | 1.043.885,49€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER - 887.302,67€


    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A presente operação visa dotar a cidade de Chaves de um Centro Coordenador de Transportes, que possibilite à população uma mobilidade urbana multimodal sustentável e altamente articulada e integrada com as restantes redes de serviços de transporte coletivo de passageiros e deste modo favorecer a melhoria ambiental urbana pela redução das emissões de gazes nocivos e o ruído resultantes da redução do tráfego de atravessamento do centro da cidade.


    Para a implementação desta ação infraestrutural serão desenvolvidas as seguintes atividades:
    - Construção do edifício/estrutura que contempla nomeadamente trabalhos de alvenarias; impermeabilização e isolamentos; cobertura; revestimento de pavimentos, paredes e tetos; carpintaria e serralharia; instalação de equipamentos sanitários, etc.;
    - Redução da “bacia de retenção” pré-existente de modo a compatibilizar com o espaço público proposto;
    - Fornecimento e colocação de sinalética interior e exterior;
    - Criação de acessos automóvel e pedonal;
    - Criação de uma área de estacionamento automóvel;
    - Arranjos dos espaços exteriores (com a criação de uma área verde e uma área ajardinada; fornecimento e colocação de sinalização vertical e estacionamento para bicicletas; fornecimento e aplicação de mobiliário urbano, entre outros).
    Resultados esperados:
    (i) Planos de mobilidade urbana sustentável implementados – 1 (2021)
    (ii) Interfaces multimodais apoiados - 1 (2021);
    (iii) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88.787 Ton/CO2 (2023).

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Construção do Centro Coordenador de Transportes (PAMUS 4)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Construção do Centro Coordenador de Transportes (PAMUS 4)

    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000189
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 21-02-2019
    Data de início | 12-12-2016
    Data de conclusão | 31-12-2020
    Custo total elegível | 1.043.885,49€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 887.302,67€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A presente operação visa dotar a cidade de Chaves de um Centro Coordenador de Transportes, que possibilite à população uma mobilidade urbana multimodal sustentável e altamente articulada e integrada com as restantes redes de serviços de transporte coletivo de passageiros e deste modo favorecer a melhoria ambiental urbana pela redução das emissões de gazes nocivos e o ruído resultantes da redução do tráfego de atravessamento do centro da cidade.
    Para a implementação desta ação infraestrutural serão desenvolvidas as seguintes atividades:
    - Construção do edifício/estrutura que contempla nomeadamente trabalhos de alvenarias; impermeabilização e isolamentos; cobertura; revestimento de pavimentos, paredes e tetos; carpintaria e serralharia; instalação de equipamentos sanitários, etc.;
    - Redução da “bacia de retenção” pré-existente de modo a compatibilizar com o espaço público proposto;
    - Fornecimento e colocação de sinalética interior e exterior;
    - Criação de acessos automóvel e pedonal;
    - Criação de uma área de estacionamento automóvel;
    - Arranjos dos espaços exteriores (com a criação de uma área verde e uma área ajardinada; fornecimento e colocação de sinalização vertical e estacionamento para bicicletas; fornecimento e aplicação de mobiliário urbano, entre outros).

    Resultados esperados:

    (i) Planos de mobilidade urbana sustentável implementados – 1 (2021)
    (ii) Interfaces multimodais apoiados - 1 (2021);
    (iii) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88.787 Ton/CO2 (2023).

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

  • JARDIM DE INFÂNCIA DE VIDAGO

    NORTE_2020

    Designação do projeto | Jardim de Infância de Vidago
    Código do projeto | NORTE-08-5673-FEDER-000112
    Objetivo principal | Investir na educação, na formação e na formação profissional
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação 13-04-2017
    Data de início 26-05-2017
    Data de conclusão 29-12-2017
    Custo total elegível 193.859,96€
    Apoio financeiro da União Europeia FEDER– 164.780,97€
    Apoio financeiro público nacional/regional 29.078,99€
    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    Esta operação visa uma intervenção de requalificação no edifício do Jardim-de-Infância de Vidago com vista à sua adequação funcional, garantindo o conforto e segurança necessários, bem como, criar condições para melhorar o desenvolvimento do seu projeto educativo e dotar os novos espaços requalificados para as atividades sócio/educativas através da aquisição de mobiliário, material didático e equipamento informático adequado.
    Com a concretização desta intervenção as áreas funcionais do edifício serão substancialmente melhoradas, dotando-o com as condições de utilização exigidas, de acordo com normas reguladoras das condições de instalação e funcionamento de creches e jardins-de-infância, constantes da legislação em vigor sobre tais equipamentos socioeducativos, nomeadamente o Despacho Conjunto n.º 268/97, de 25 de Agosto e a Portaria n.º 262/2011, de 31 de Agosto.
    Com a presente intervenção este estabelecimento passará a dispor das condições necessárias para receber crianças de outros estabelecimentos de educação pré-escolar, do meio rural, que venham eventualmente a encerrar face ao decréscimo do número de alunos.
    Neste contexto, prevê-se o cumprimento das seguintes:

    Indicadores de Realização:

    • Capacidade das infraestruturas de acolhimento de crianças ou de educação apoiadas (50 alunos em 2018)
    • Equipamentos de ensino intervencionados (1 equipamento em 2017)
    • Novas salas de aula (0 novas salas de aulas)
    • Salas de aula requalificadas (2 salas de aulas em 2017)

    Indicadores de Resultado:

    1. Alunos inscritos no estabelecimento de ensino no ano letivo seguinte ao término da intervenção (50 alunos em 2018)
    2. Variação do Numero de alunos (diferença entre o numero de alunos antes e após a intervenção) (12 alunos em 2018)
    3. Alunos integrados em regime letivo normal (rede publica) (50 alunos em 2018)

    BARRA_FINAL

  • Largo do Postigo | Qualificação da Zona do Postigo das Caldas (PARU 2.6)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Largo do Postigo (Qualificação da zona do Postigo das Caldas) (PARU 2.6)

    Código do projeto | NORTE-05-2316-FEDER-000046
    Objetivo principal | Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos;
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 24-08-2017
    Data de início | 12-06-2017
    Data de conclusão | 29-12-2017
    Custo total elegível | 33.814,00€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 28.741,90€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    Esta operação visa levar a cabo uma intervenção de reabilitação do espaço urbano correspondente ao “Largo do Postigo”, que consistirá essencialmente na demolição do Posto de Transformação de fornecimento de energia elétrica (atualmente desativado) e substituição e relocalização do quiosque existente no local, com vista a colocar visível o pano de muralha medieval que se encontra na proximidade, permitindo assim, para além de preservar este elemento patrimonial, criar um ambiente que mantenha a qualidade estética que se pretende continuar a implementar no Centro Histórico de Chaves.
    Para a consecução desta ação serão desenvolvidas obras da seguinte natureza:
    - Demolição integral do Posto de Transformação de energia elétrica;
    - Substituição e relocalização do quiosque existente no local;
    - Limpeza dos trechos de muralha que serão libertados.

    Resultados esperados:
    (i) Espaços abertos criados ou reabilitados em áreas urbanas – 108,80m2 (2017);
    (ii) Aumento do grau de satisfação dos residentes que habitam em áreas com estratégias integradas de desenvolvimento urbano – 4 (2019).

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Largo do Terreiro da Cavalaria (Remodelação Funcional e Paisagística) (PARU 2.5)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Largo do Terreiro da Cavalaria (Remodelação Funcional e Paisagística) (PARU 2.5)

    Código do projeto | NORTE-05-2316-FEDER-000094
    Objetivo principal | Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos;
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 31-07-2018
    Data de início | 02-04-2018
    Data de conclusão | 29-03-2019
    Custo total elegível | 628.580,00€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 534.293,60€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    Esta operação visa uma intervenção de reabilitação urbana num espaço emblemático da cidade (Largo do Terreiro de Cavalaria), de forma a melhorar a sua imagem e funcionalidade, ampliando a polivalência e as condições para a sua fruição. Também se preconiza a requalificação dos arruamentos envolventes de forma a garantir um maior conforto e segurança para deslocações em modos suaves, contribuído para uma mobilidade urbana mais sustentável.

    A intervenção em causa consubstancia a realização de obras da seguinte natureza:
    - Execução de uma pérgula, à semelhança da que em tempos existiu;
    - Criação de um percurso que se prolonga até ao topo norte do jardim, desde a pérgula;
    - Relocalização e reabilitação da “taça” existente para um espaço central;
    - Relocalização do monumento de “Homenagem dos Flavienses de 1940 aos fundadores da nacionalidade”, monumento este, que se encontra presente desde o jardim original;
    - Preservação dos elementos arbóreos e volumes vegetais existentes, bem como a plantação de outros elementos arbóreo-arbustivos;
    - Repavimentação de todo o Jardim, com materiais típicos utilizados inicialmente, nomeadamente calçada à portuguesa e cubo calcário com desenho em cubo de basalto, conciliado com linguagem modernista em parte, conseguida através dos mesmos materiais e ainda com a colocação de lajetas de granito em algumas faixas horizontais, que rompem o espaço;
    - Construção de um novo quiosque nas proximidades do atual existente (que se encontra dissonante e em mau estado);
    - Instalação novo mobiliário urbano e iluminação pública e cénica decorativa;
    - Reformulação das caraterísticas geométricas dos arruamentos da praça, essencialmente ao nível dos perfis transversais tipo, por forma a melhorar as condições de segurança associadas à circulação automóvel e pedonal;
    - Reajustamento e remodelação das infraestruturas de drenagem de águas pluviais.

    Resultados esperados:
    (i) Espaços abertos criados ou reabilitados em áreas urbanas – 7675m2 (2019);
    (ii) Aumento do grau de satisfação dos residentes que habitam em áreas com estratégias integradas de desenvolvimento urbano – 4 (2019).

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Largo General Silveira (Remodelação do Largo General Silveira - Largo das Freiras)

    NORTE_2020

    Designação do projeto | Largo General Silveira (Remodelação do Largo General Silveira - Largo das Freiras)

    Código do projeto | NORTE-05-2316-FEDER-000012

    Objetivo principal | Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos

    Região de intervenção | Norte

    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 19-12-2016

    Data de início | 12-12-2016

    Data de conclusão | 31-05-2017

    Custo total elegível | 260.440,94€

    Apoio financeiro da União Europeia Fundo Económico de Desenvolvimento Regional | 221.374,80€

    Apoio financeiro público nacional/regional | 39.066,14€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos:
    A presente operação consubstancia a intervenção de beneficiação e reabilitação do Largo General Silveira (Largo das Freiras), localizado dentro do perímetro da Área de Reabilitação Urbana do Centro Histórico de Chaves (ARU), visando incrementar e potenciar o valor cénico do local, sem inviabilizar a sua polivalência, disponibilizando condições de conforto, de forma a proporcionar um nível de fruição e perceção do espaço que se coadune com as legítimas expectativas da população e potenciais utilizadores da praça e com a qualidade estética que se pretende continuar a implementar no Centro Histórico.

    A “filosofia” subjacente à proposta é de conferir mais urbanidade ao Largo, de forma a melhorar a sua imagem e funcionalidade, passando esta requalificação pela substituição do pavimento degradado, eliminando, também, a fonte e as “poldras” aí existentes.

    O novo pavimento será constituído, na maior parte da área, por uma malha em quadrícula, com a aplicação de granito nos limites dos quadrados e calçada à portuguesa, preenchendo o seu interior.

    Será implantada no eixo central da praça uma “fonte seca”, com recuperação da água. Além de servir, nos meses mais quentes, para elevar o conforto ambiental, contribuirá para valorizar esteticamente o espaço. Devido às suas características, a sua inserção espacial não inviabilizará outros usos.

    A Este e a Norte da área de intervenção a implantação de “canteiros”, destinados à plantação de elementos arbóreos e arbustivos.

    A Oeste, as árvores serão substituídas e deslocalizadas, tendo em conta as características das existentes e a pressão que o volume radicular exerce sobre a pedra constituinte das bancadas, que, nesta área, serão reconstituídas, após a eliminação das caldeiras.

    Resultados esperados:

    • Espaços abertos criados ou reabilitados em áreas urbanas (3.117,00 m2);
    • Aumento do grau de satisfação dos residentes que habitam em áreas com estratégias integradas de desenvolvimento urbano (4,00 de 1 a 10).

    BARRA_FINAL2

  • PEPAL 5.ª EDIÇÃO – Programa de Estágios Profissionais na Administração Local

    POISE_PT2020_FSE_690

    Designação do projecto: PEPAL 5.ª EDIÇÃO – Programa de Estágios Profissionais na Administração Local

    Código do projeto : POISE-02-3220-FSE-000124

    Objetivo principal: Possibilitar aos jovens com qualificação superior a realização de um estágio profissional, em contexto real de trabalho, que crie condições para uma mais rápida e fácil integração no mercado de trabalho.

    Região de intervenção |Região Norte

    Entidade beneficiária |Município de Chaves

    Data de aprovação: 22/11/2016

    Data de início: 03/08/2015

    Data de conclusão: 02/08/2016

    Custo total elegível: 28.637,64 €

    Apoio financeiro da União Europeia: FSE – 26.346,63 €

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos:
    Possibilitar aos jovens com qualificação superior a realização de um estágio profissional em contexto real de trabalho, que crie condições, para uma mais rápida e fácil integração no mercado de trabalho.

    BARRA_FINAL2

  • Piscinas da Quinta do Rebentão

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Edifícios: Piscinas da Quinta do Rebentão

    Código do projeto | NORTE-03-1203-FEDER-000069
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 11-10-2018
    Data de início | 01-01-2017
    Data de conclusão | 31-12-2020
    Custo total elegível | 118.258,23 €
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER - 111.96,51 €

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    Esta operação tem como principal objetivo, a diminuição do consumo de energia primária em 30%.
    A CMC, na Quinta do Rebentão propõe-se reconverter os seus sistemas energéticos, de forma a obter poupanças significativas em termos de consumo de energia. Esta operação vai ser executada através de medidas que incidem sobre os principais drivers de consumo energético: introdução de novos sistemas bombagem, a utilização de LED e a produção renovável.
    O cenário pós operação espelha, por um lado a tecnologia, nas áreas de invenção envolvidas, que vai ser adicionada aos vários sistemas e por outro o efeito simulado pelos elementos técnicos de candidatura no comportamento em termos de consumo energético destes sistemas:
    - Cenário de consumo futuro: Consumo Energético de energia primária estimado (kWh/ano) e emissões de no primeiro ano de exploração do investimento: 285 991 KWhep kWh.
    - Redução do Consumo de Energia Primária (%, medido pelo rácio entre consumo no primeiro ano de exploração do investimento / consumo antes da intervenção) e Classe Energética Final: 46.6%, A+.
    - Tecnologias dos equipamentos e materiais a utilizar na operação, referentes às tipologias de operação candidatas): introdução de novos sistemas bombagem da piscina com melhor eficiência, a utilização de LED em toda a iluminação e a produção renovável.

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

  • Qualificação do espaço público da Margem Direita do Rio Tâmega, entre Jardim do Tabolado e a Ponte de S. Roque (PARU 2.7)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Qualificação do espaço público da Margem Direita do Rio Tâmega, entre Jardim do Tabolado e a Ponte de S. Roque (PARU 2.7)

    Código do projeto | NORTE-05-2316-FEDER-000098
    Objetivo principal | Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos;
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 16-04-2018
    Data de início | 13-01-2017
    Data de conclusão | 30-03-2020
    Custo total elegível | 979.520,70€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 832.592,60€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    Esta operação consubstancia a reorganização dos espaços públicos, da margem direita do rio Tâmega, compreendidos entre o jardim do Tabolado e a ponte de S. Roque. A área intervencionada (13.644m2) visa dinamizar este espaço e a relação entre o centro histórico, o rio Tâmega e o novo museu de arte contemporânea Nadir Afonso, completando-se, deste modo, o projeto de requalificação urbanística iniciado no âmbito do projeto Polis.
    Para a consecução desta ação serão desenvolvidas obras que objetivam a organização e limitação da circulação e do estacionamento automóvel, privilegiando-se o percurso pedonal e ciclável, e a renovação e adequação à sua envolvente e às condições locais das infraestruturas existentes (iluminação, redes de drenagem de águas pluviais e de esgotos).


    Resultados esperados:
    (i) Espaços abertos criados ou reabilitados em áreas urbanas – 13644,00m2 (2020);
    (ii) Aumento do grau de satisfação dos residentes que habitam em áreas com estratégias integradas de desenvolvimento urbano – 4 (2020).

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Reabilitação do Museu da Região Flaviense, Castelo, Baluarte e Instalação do Centro Interpretativo das Muralhas (PARU 2.1)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Reabilitação do Museu da Região Flaviense, do Castelo, Baluarte e Instalação do Centro Interpretativo das Muralhas (PARU 2.1)

    Código do projeto | NORTE-05-2316-FEDER-000110
    Objetivo principal | Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos;
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 16-04-2018
    Data de início | 03-09-2018
    Data de conclusão | 31-03-2020
    Custo total elegível | 975.200,00€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 828.920,00€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A presente operação consubstancia a Reabilitação do Museu da Região Flaviense, do Castelo, Baluarte e Instalação do Centro Interpretativo das Muralhas e abrange uma área de intervenção total de 2.813m2 referente a obras no espaço público (776 m2) e privado (2.037m2) do Município de Chaves. É neste conjunto de edifícios que será albergado, em condições idóneas, o espólio arqueológico existente no concelho de Chaves (atualmente em exposição ou/e em arquivo) e na sua envolvente serão criadas as condições para que seja possível visualizar estruturas e artefactos até agora ocultos aos olhos dos visitantes, permitindo-se, deste modo, uma maior e melhor compreensão da realidade histórica da região e uma valorização integral de todas estas estruturas e espólio.

    Neste sentido, com a intervenção em causa será possível, nomeadamente, proceder à:
    - Renovação da cobertura da Torre de Menagem;
    - Cobertura do espaço intersticial entre a torre e o pano exterior do Castelo;
    - Eliminação das patologias que atualmente se verificam na envolvente exterior do Castelo;
    - Melhoria das acessibilidades ao baluarte do castelo e ao museu;
    - Expansão dos espaços expositivos do museu com a incorporação da atual Sala Nadir Afonso e dos espaços adjacentes no piso térreo da ala sul do Paços do Duque de Bragança;
    - Criação de um pequeno auditório com capacidade para 48 pessoas;
    - Reconfiguração das instalações sanitárias para permitir o acesso a pessoas com mobilidade reduzida;
    - Exposição e repositório em condições ideais de conservação, do espólio encontrado nas escavações das termas medicinais romanas, em virtude do espaço museológico em construção no local não ser idóneo para albergar as peças em causa;
    - Criação de um verdadeiro museu da região, que contemple os diversos momentos históricos e temáticas que contem através de uma “teia” de ilustrações e explicações a história da cidade (Chaves) e da região (Alto Tâmega/Trás-os-Montes).

    Resultados esperados:
    (i) Edifícios públicos ou comerciais construídos ou renovados em áreas urbanas – 2813 m2 (2020);
    (ii) Aumento do grau de satisfação dos residentes que habitam em áreas com estratégias integradas de desenvolvimento urbano – 4 (2020);

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

  • Reabilitação e Ampliação do Parque Infantil do Jardim do Tabolado (PARU 2.8) – PI 6.5 (6e)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Reabilitação e Ampliação do Parque Infantil do Jardim do Tabolado (PARU 2.8) – PI 6.5 (6e)

    Código do projeto | NORTE-05-2316-FEDER-000099
    Objetivo principal | Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos;
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 16-04-2018
    Data de início | 30-09-2018
    Data de conclusão | 30-03-2020
    Custo total elegível | 552.769,50€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 469.854,07€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    Esta operação visa levar a cabo uma intervenção de reabilitação do Parque Infantil do Jardim do Tabolado existente ao nível dos pavimentos, equipamentos, iluminação, sombreamento, entre outros fatores, de modo a tornar o local aprazível e seguro para os utentes, bem como proceder à sua ampliação para a zona norte, abrangendo uma área de intervenção de aproximadamente 4.400m2.
    No âmbito da reabilitação do parque infantil prevêem-se, nomeadamente as seguintes intervenções:
    - Fechar o parque na sua totalidade, mantendo apenas as duas entradas existentes;
    - Substituição do pavimento existente por um pavimento contínuo de borracha;
    - Aumento da oferta e diversidade dos equipamentos para todas as faixas etárias, principalmente para os mais pequenos (1, 2 e 3 anos);
    - Relocalização de alguns equipamentos existentes a manter (baloiços e o equipamento de subir atualmente localizado na zona da entrada);
    - Sombreamento parcial do parque através da aplicação de 3 coberturas de forma trapezoidal;

    Na intervenção da área destinada à ampliação do parque infantil, prevê-se nomeadamente:
    - Colocação de equipamentos relacionados com atividades de equilíbrio e de elementos escultóricos urbanos, com funções polivalentes;
    - Colocação de uma vedação baixa (1m de altura) no interior poente e norte deste espaço, (na sua proximidade verificam-se zonas de circulação automóvel);
    - Substituição do relvado existente;
    - Criação de uma zona envolvente aos equipamentos em areão;
    - Criação de um percurso quebrado que faz a ligação entre a rua Dr. João Morais e o percurso pedonal integrado no parque urbano (para articular os diferentes espaços (parque infantil existente e zona de ampliação), bem como, os percursos pedonais existentes na zona nascente da área de intervenção);
    - Criação de uma zona de pequena praça, no ponto de quebra do percurso, que funciona como zona de estadia e marca igualmente a entrada secundária para o parque infantil existente;
    - Plantação de uma sebe de crescimento semilivre de Photinia x fraseri, na zona que confina com a atual vedação das piscinas municipais;
    - Pavimentação dos percursos pedonais e da praça;
    - Relocalização alguns equipamentos saudáveis para a prática de ginástica ao ar livre, na zona envolvente ao parque infantil, fora da presente área de intervenção;
    - Aproveitamento e reconfiguração do sistema existente de rega automática nos espaços verdes, de acordo com o novo desenho do espaço.
    - Colocação de iluminação necessária à correta utilização dos espaços de forma segura, propondo-se ainda pontualmente a colocação de iluminação cénica a enquadrar alguns elementos de destaque, enriquecendo e qualificando desta forma todo o espaço.

    Resultados esperados:
    (i) Espaços abertos criados ou reabilitados em áreas urbanas – 4400,00m2 (2020);
    (ii) Aumento do grau de satisfação dos residentes que habitam em áreas com estratégias integradas de desenvolvimento urbano – 4 (2020).

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Requalificação da Av. do Estádio (PAMUS 1.2 e 2.1)

    Financiado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Requalificação da Av. do Estádio (PAMUS 1.2 e 2.1)

    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000068
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 29-06-2017
    Data de início | 21-03-2017
    Data de conclusão | 29-12-2017
    Custo total elegível | 268.960,68€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER– 228.626,58€


    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    Esta operação visa adaptar 0,966 km da rede viária urbana da cidade de Chaves por forma a melhorar as condições funcionais (acessibilidade e comodidade), numa área intervencionada de 18.389m2, dos quais, 7907m2 serão destinados aos modos suaves de mobilidade (pedonal).
    A intenção do projeto visa incrementar e potenciar as condições funcionais dos espaços de circulação destinados aos modos suaves de mobilidade pedonal deste arruamento através a criação de um novo desenho viário que favorecerá a circulação pedonal e criará melhores condições de acessibilidade e comodidade, contribuindo, desta forma, para a redução da utilização dos meios motorizados e consequentemente para a diminuição das emissões de CO2.
    A intervenção em causa consubstancia a realização de obras de diversa natureza, destacando nomeadamente:

    - Demolições (demolição, remoção, escarificação e fresagem dos vários tipos de pavimentos existentes nos passeios e na via (betuminoso, passeios e lancis em betão e outros revestimentos, lancis de granito, calçadinha e calçada de cubos de granito, sumidouros, muros e escadas em betão;
    - Pavimentação (Revestimento das zonas pedonais e de estacionamento com blocos de betão de encaixe diferenciando a sua utilização através da utilização de cores, e a zona de circulação automóvel com massas betuminosas);
    - Rede de abastecimento de água (instalação de três válvulas de seccionamento na conduta de abastecimento de água existente e a instalação de três marcos de incendio);
    - Rede de drenagem de águas pluviais (alterar a localização dos sumidouros e órgãos de drenagem existentes e instalação de pequenos troços de coletores para drenagem para águas pluviais de modo a adaptar os escoamentos aos traçados projetados);
    - Passadeiras redutoras de velocidade (duas lombas redutores de velocidade com dupla funcionalidade de passadeira para peões);
    - Arborização (Construção de caldeiras para plantação de árvores novas e/ou substituídas as arvores que se encontrem em más condições);
    - Sinalização rodoviária (horizontal e vertical de código colocada de acordo com a legislação em vigor e DN-EP);
    - Diversos (refazer e adaptar alguns muros, escadas, bases para TUC, floreiras, adaptação ao novo pavimento de tampas de infraestruturas existentes, levantamento e reposição de sinalização rodoviária, bem como a inclusão de negativos, executados em peças de ferro que ficarão faceados com o pavimento, de modo a permitir aos feirantes a armação de tendas, sem danificarem o pavimento);
    - Infraestruturas de telecomunicações;
    - Infraestruturas elétricas (readaptação das infraestruturas elétricas existentes).

    Resultados esperados:
    (i) Planos de mobilidade urbana sustentável implementados - 1 (2018);
    (ii) Vias dedicadas às mobilidades suaves ou à redução de emissões de carbono - 0,966 km (2018);
    (iii) Corredores de elevada procura de transporte implementados - 1 (2018);
    (iv) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88787 Ton/CO2 (2018).

     

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Requalificação da Avenida dos Aliados (PAMUS 7)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional


    Designação do projeto | Requalificação da Avenida dos Aliados (PAMUS 7)

    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000125
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 08-02-2018
    Data de início | 03-09-2018
    Data de conclusão | 30-09-2019
    Custo total elegível | 55.542,31€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 47.210,96€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A operação visa incrementar e potenciar as condições funcionais dos espaços de circulação destinados aos modos suaves de mobilidade pedonal do arruamento “Avenida dos Aliados”, através de intervenções de repavimentação, sinalética e outros, que favorecerá a circulação pedonal e criará melhores condições de acessibilidade e comodidade, contribuindo, desta forma, para a redução da utilização dos meios motorizados e consequentemente para a diminuição das emissões de CO2. Para tal será adaptada uma extensão total de 109 metros da rede viária urbana numa área intervencionada de 1.890 m2, dos quais 995 m2 se destinam aos modos suaves de circulação.


    Para a consecução desta ação serão desenvolvidas obras da seguinte natureza:
    i) A reorganização da via, conferindo-lhe características mais urbanas, dotando-a de condições que permitam a implementação de soluções de mobilidade urbana sustentável, nomeadamente a mobilidade pedonal;
    ii) Reformulação das caraterísticas geométricas da via (essencialmente ao nível do Perfil Transversal Tipo), por forma a melhorar as condições de segurança associadas à circulação automóvel e pedonal.
    iii) A construção do sistema de drenagem de águas pluviais;
    iv) Requalificação do sistema de abastecimento de água;
    v) O reforço/reabilitação funcional do pavimento existente;
    vi) A reformulação/substituição do sistema de sinalização e de segurança;
    vii) Manteve-se a arborização existente do arruamento, contribuindo para uma melhoria do conforto climático do espaço, segurança dos peões e simultaneamente para a qualificação visual do arruamento.
    Resultados esperados:
    (i) Planos de mobilidade urbana sustentável implementados – 1 (2020)
    (ii) Corredores de elevada procura de transporte implementados - 1 (2019);
    (iii) Vias dedicadas às mobilidades suaves ou à redução de emissões de carbono – 0,01 km (2019);
    (iv) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88.787 Ton/CO2 (2020).

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

  • Requalificação da Avenida Nuno Álvares (PAMUS 1.4)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional


    Designação do projeto | Requalificação da Avenida Nuno Álvares (PAMUS 1.4)
    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000095
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 08-02-2018
    Data de início | 20-11-2017
    Data de conclusão| 31-08-2018
    Custo total elegível | 430.500,63€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 365.925,54€


    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    Esta operação visa adaptar 650 metros da rede viária urbana da cidade de Chaves, permitindo incrementar e potenciar as condições funcionais dos espaços de circulação destinados aos modos suaves de mobilidade pedonal deste arruamento através a criação de um novo desenho viário que favorecerá a circulação pedonal e criará melhores condições de acessibilidade e comodidade, contribuindo, desta forma, para a redução da utilização dos meios motorizados e consequentemente para a diminuição das emissões de CO2.
    Esta requalificação, no espaço urbano, prevê a atribuição de um novo desenho viário com o objetivo principal de destacar os espaços de circulação pedonal, dispondo também de espaços de circulação automóvel e estacionamento, de forma a criar melhores condições de acessibilidade e comodidade. No âmbito da intervenção em questão será mantido o eixo estruturante, com o trânsito nos dois sentidos, introduzindo-se pequenas alterações nas ligações com outros arruamentos, acentuando deste modo a comodidade e segurança da circulação automóvel e pedonal. Será também levado a cabo o nivelamento e alargamento no desenvolvimento dos passeios e a sua repavimentação em blocos de betão de encaixe, retangulares, de cor amarela, enfatizando-se o uso pedonal. Os passeios serão desenvolvidos num perfil desnivelado, com lancis e guias de granito, com criação de espaços lineares de caldeiras para árvores e estacionamentos ao nível do arruamento, diferenciando-se os estacionamentos, com revestimento em blocos de betão de encaixe de cor castanha. O acesso às ruas transversais dos bairros urbanos, far-se-á sem interrupção da cota do passeio, diferenciando-se na transição de cotas, o revestimento do pavimento com blocos de betão de encaixe de cor bordeaux. Haverá ainda lugar à manutenção e reabilitação do pavimento da zona de circulação automóvel, em virtude deste se apresentar com sinais de desgaste e detioração.

    A intervenção em causa consubstancia a realização de obras de diversa natureza, destacando nomeadamente:
    - Demolições (demolição, remoção, escarificação e fresagem dos vários tipos de pavimentos existentes nos passeios e na via (betuminoso, passeios e lancis em betão e outros revestimentos, lancis de granito, calçadinha e calçada de cubos de granito, sumidouros, muros e escadas em betão);
    - Pavimentação (Revestimento das zonas pedonais e de estacionamento com blocos de betão de encaixe diferenciando a sua utilização através da utilização de cores, e a zona de circulação automóvel com massas betuminosas);
    - Rede de abastecimento de água (remodelação de toda a rede de abastecimento de água);
    - Rede de drenagem de águas pluviais (remodelação de toda a rede de drenagem de águas pluviais);
    - Rede de drenagem de águas residuais domésticas (remodelação de toda a rede de drenagem de águas residuais domésticas);
    - Passadeiras redutoras de velocidade (colocação de lombas redutoras de velocidade com dupla funcionalidade, sendo a segunda destinada para peões);
    - Arborização (colocação de grelhas nas caldeiras das árvores existentes e plantação de novas árvores nos locais onde já não existam ou tenha havido necessidade de as retirar);
    - Sinalização rodoviária (horizontal e vertical de código colocada de acordo com a legislação em vigor e DN-EP);
    - Infraestruturas elétricas e de pavimentação (readaptação das infraestruturas elétricas existentes).

    Resultados esperados:
    (i) Vias dedicadas às mobilidades suaves ou à redução de emissões de carbono - 0,65 km (2018);
    (ii) Corredores de elevada procura de transporte implementados - 1 (2023);
    (iii) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88787 Ton/CO2 (2018).

     

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

  • Requalificação da Av. General Ribeiro de Carvalho, das Ruas Nadir Afonso, Mário dos Santos Delgado e Artur Maria Afonso e das Travessas Nuno Alvares e Gen. Ribeiro de Carvalho (PAMUS 18, 1.9 e 1.10)

    Cofinanciado por: 

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Requalificação da Av. General Ribeiro de Carvalho, das ruas Nadir Afonso, Mário dos Santos Delgado e Artur Maria Afonso e das Travessas Nuno Alvares e Gen. Ribeiro de Carvalho (PAMUS 18, 1.9 e 1.10)

    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000093
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 25-01-2018
    Data de início | 27-11-2017
    Data de conclusão | 31-07-2018
    Custo total elegível | 372.271,65€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 316.430,90€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A operação visa incrementar e potenciar as condições funcionais dos espaços de circulação destinados aos modos suaves de mobilidade pedonal dos arruamentos através a criação de um novo desenho viário que favorecerá a circulação pedonal e criará melhores condições de acessibilidade e comodidade, contribuindo, desta forma, para a redução da utilização dos meios motorizados e consequentemente para a diminuição das emissões de CO2. Para tal, serão requalificados diversos arruamentos (Av. General Ribeiro de Carvalho; das Ruas Nadir Afonso, Mário dos Santos Delgado e Artur Mª Afonso e das Travessas Nuno Alvares e Gen. Ribeiro de Carvalho), numa extensão total de 1407 metros, correspondendo a uma área intervencionada destinada aos modos suaves de circulação de 7035 m2.

    A intervenção em causa consubstancia a realização de obras da seguinte natureza:
    i) A reorganização das vias, conferindo-lhe características mais urbanas, dotando-as de condições que permitam a implementação de soluções de mobilidade urbana sustentável, nomeadamente a mobilidade pedonal;
    ii) A reformulação das caraterísticas geométricas das vias (essencialmente ao nível dos Perfis Transversais (PT) Tipo) por forma a melhorar as condições de segurança associadas à circulação automóvel e pedonal. Considera-se de um modo geral a redução da largura das faixas rodagem e a reformulação de entroncamentos e cruzamentos, proporcionando uma sensação de estreitamento da via, criando assim um efeito visual mais urbano, inibindo o condutor de adotar velocidades de circulação mais elevadas. A redução da largura das faixas de rodagem proporciona igualmente o aumento das larguras dos passeios;
    iii) A reformulação geométrica das interseções contribuindo igualmente para reduzir a velocidade de circulação e melhorar a articulação com a rede viária existente;
    iv) O melhoramento das condições do sistema de drenagem;
    v) O reforço/reabilitação funcional do pavimento existente;
    vi) A reformulação/substituição do sistema de sinalização e de segurança;
    vii) A arborização dos arruamentos, contribuindo para uma melhoria do conforto climático do espaço, segurança dos peões e simultaneamente para a qualificação visual dos arruamentos.
    Resultados esperados:
    (i) Corredores de elevada procura de transporte implementados - 1 (2018);
    (ii) Vias dedicadas às mobilidades suaves ou à redução de emissões de carbono – 1,41 km (2018);
    (iii) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88.787 Ton/CO2 (2023).

     

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Requalificação da Av. Irmãos Rui e Garcia Lopes (PAMUS 1.2)

    Financiado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Requalificação da Av. Irmãos Rui e Garcia Lopes (PAMUS 1.2)
    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000056
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 06-07-2017
    Data de início | 15-06-2017
    Data de conclusão | 29-12-2017
    Custo total elegível | 180.044,76€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 153.038,05€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A operação visa incrementar e potenciar as condições funcionais dos espaços de circulação destinados aos modos suaves de mobilidade pedonal deste arruamento através a criação de um novo desenho viário que favorecerá a circulação pedonal e criará melhores condições de acessibilidade e comodidade, contribuindo, desta forma, para a redução da utilização dos meios motorizados e consequentemente para a diminuição das emissões de CO2. Para tal, serão adaptados 0,606 km da rede viária urbana numa área intervencionada de 10.262 m2, dos quais, 5.317 m2 serão destinados aos modos suaves de mobilidade (pedonal).
    Esta requalificação prevê a atribuição de um novo desenho viário com o objetivo principal de destacar os espaços de circulação pedonal, dispondo também de espaços de circulação automóvel e estacionamento, de forma a criar melhores condições de acessibilidade e comodidade. No âmbito da intervenção em questão será mantido o eixo estruturante, com o trânsito nos dois sentidos, introduzindo-se pequenas alterações nas ligações com outros arruamentos, acentuando deste modo a comodidade e segurança da circulação automóvel e pedonal. Será também levado a cabo o nivelamento e alargamento no desenvolvimento dos passeios e a sua repavimentação em blocos de betão de encaixe, retangulares, de cor amarela, enfatizando-se o uso pedonal. Os passeios serão desenvolvidos num perfil desnivelado, com lancis e guias de granito, com criação de espaços lineares de caldeiras para árvores e estacionamentos ao nível do arruamento, diferenciando-se os estacionamentos, com revestimento em blocos de betão de encaixe de cor castanha. O acesso às ruas transversais dos bairros urbanos, far-se-á sem interrupção da cota do passeio, diferenciando-se na transição de cotas, o revestimento do pavimento com blocos de betão de encaixe de cor bordeaux. Haverá ainda lugar à manutenção e reabilitação do pavimento da zona de circulação automóvel, em virtude deste se apresentar com sinais de desgaste e detioração.
    A intervenção em causa consubstancia a realização de obras de diversa natureza, destacando nomeadamente:
    - Demolições (demolição, remoção, escarificação e fresagem dos vários tipos de pavimentos existentes nos passeios e na via (betuminoso, passeios e lancis em betão e outros revestimentos, lancis de granito, calçadinha e calçada de cubos de granito, sumidouros, muros e escadas em betão);
    - Pavimentação (Revestimento das zonas pedonais e de estacionamento com blocos de betão de encaixe diferenciando a sua utilização através da utilização de cores, e a zona de circulação automóvel com massas betuminosas);
    - Rede de abastecimento de água (substituição da tubagem de abastecimento de água existente, substituição dos respetivos ramais domiciliários e a instalação de três marcos de incêndio);
    - Rede de drenagem de águas pluviais (alterar a localização dos sumidouros e órgãos de drenagem existentes e instalação de pequenos troços de coletores para drenagem para águas pluviais de modo a adaptar os escoamentos aos traçados projetados);
    - Passadeiras redutoras de velocidade (uma lomba redutora de velocidade com dupla funcionalidade de passadeira para peões);
    - Arborização (Construção de caldeiras para plantação de árvores novas e/ou substituídas as arvores que se encontrem em más condições, ou que não são as mais adequadas para o espaço intervencionado);
    - Sinalização rodoviária (horizontal e vertical, colocada de acordo com a legislação em vigor e DN-EP);
    - Diversos (execução das bases para TUC, a colocação de nova grade de proteção na passadeira redutora de velocidade, adaptação ao novo pavimento de tampas de infraestruturas existentes, levantamento e reposição de sinalização rodoviária);
    - Infraestruturas de telecomunicações;
    - Infraestruturas elétricas (readaptação das infraestruturas elétricas existentes).

    Resultados esperados:
    (i) Planos de mobilidade urbana sustentável implementados – 1 (2023)
    (ii) Corredores de elevada procura de transporte implementados - 1 (2018);
    (iii) Vias dedicadas às mobilidades suaves ou à redução de emissões de carbono - 0,606 km (2018);
    (iv) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88.787 Ton/CO2 (2023).

     

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Requalificação da Av. Luís Chaves e das Ruas Santo Amaro e Reis Ventura (PAMUS 3.3)

    Financiado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional


    Designação do projeto | Requalificação da Av. Luís Chaves e das Ruas Santo Amaro e Reis Ventura (PAMUS 3.3)
    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000126
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 02-07-2018
    Data de início | 01-08-2018
    Data de conclusão | 31-12-2019
    Custo total elegível |184.077,17€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 156.465,59€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A operação visa incrementar e potenciar as condições funcionais dos espaços de circulação destinados aos modos suaves de mobilidade pedonal deste arruamento através a criação de um novo desenho viário que favorecerá a circulação pedonal e criará melhores condições de acessibilidade e comodidade, contribuindo, desta forma, para a redução da utilização dos meios motorizados e consequentemente para a diminuição das emissões de CO2. Para tal, serão adaptados 0,599 km da rede viária urbana numa área intervencionada de 6.768 m2, dos quais, 2.973 m2 serão destinados aos modos suaves de mobilidade (pedonal).
    Esta requalificação prevê a atribuição de um novo desenho viário com o objetivo principal de destacar os espaços de circulação pedonal, dispondo também de espaços de circulação automóvel e estacionamento, de forma a criar melhores condições de acessibilidade e comodidade. No âmbito da intervenção em questão será mantido o eixo estruturante, com o trânsito nos dois sentidos, introduzindo-se uma rotunda elevada, no nó de ligação com a Av. Bracara Augusta, acentuando deste modo a comodidade e segurança da circulação automóvel e pedonal. Propõe-se o nivelamento e alargamento, onde permitido, do desenvolvimento dos passeios, demarcando igualmente os espaços para estacionamentos, arborização e zona de circulação automóvel. Será também levado a cabo o nivelamento e alargamento no desenvolvimento dos passeios e a sua repavimentação em blocos de betão de encaixe, retangulares, de cor amarela, enfatizando-se o uso pedonal. Os passeios serão desenvolvidos num perfil desnivelado, com lancis e guias de granito, com criação de espaços lineares de caldeiras para árvores e estacionamentos ao nível do arruamento, diferenciando-se os estacionamentos, com revestimento em blocos de betão de encaixe de cor castanha. O revestimento final, nos ilhéus, lagrimas ou separadores, a introduzir nas zonas de circulação automóvel, serão revestidos com blocos de betão de encaixe de cor bordeaux. Haverá ainda lugar à manutenção e reabilitação do pavimento da zona de circulação automóvel, em virtude deste se apresentar com sinais de desgaste e detioração. A especificidade e caraterísticas deste arruamento urbano, privilegiando sempre os espaços pedonais, conduz à consideração da variação de dimensões transversais, sendo, no entanto, constituídos por faixa de rodagem com dois sentidos, na Rua de Santo Amaro e Av. Luís Chaves, e com um único sentido na Rua Reis Ventura, com passeios em ambos os lados, estando as baías de estacionamento condicionadas aos espaços e lugares estratégicos.

    Resultados esperados:
    (i) Planos de mobilidade urbana sustentável implementados – 1 (2023)
    (ii) Corredores de elevada procura de transporte implementados - 1 (2020);
    (iii) Vias dedicadas às mobilidades suaves ou à redução de emissões de carbono - 0,599 km (2020);
    (iv) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88.787 Ton/CO2 (2023).

     

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Requalificação das Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, Xavier Teixeira e Raposeira, das Ruas Linha do Comboio e Aregos e do Viaduto da Raposeira (PAMUS 1.5 , 3.2 e 3.4)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Requalificação das Avenidas Dr. Francisco Sá Carneiro, Xavier Teixeira e Raposeira, das Ruas Linha do Comboio e Aregos e do Viaduto da Raposeira (PAMUS 1.5 , 3.2 e 3.4)

    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000124
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 06-03-2018
    Data de início | 06-03-2017
    Data de conclusão | 30-04-2020
    Custo total elegível | 636.553,25€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 541.070,26€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A operação visa incrementar e potenciar as condições funcionais dos espaços de circulação destinados aos modos suaves de mobilidade pedonal de diversos arruamentos através a criação de um novo desenho viário que favorecerá a circulação pedonal e criará melhores condições de acessibilidade e comodidade, contribuindo, desta forma, para a redução da utilização dos meios motorizados e consequentemente para a diminuição das emissões de CO2. Para tal, serão requalificados um conjunto de arruamentos (“Avenida Xavier Teixeira”, “Avenida Dr. Francisco Sá Carneiro”, “Avenida da Raposeira”, “Viaduto da Raposeira” e “Rua dos Aregos” localizadas na freguesia de Santa Maria Maior, numa extensão total de aproximadamente 1387 metros, correspondendo a uma área total de 18.823 m2, dos quais 9.811m2 se destinam aos modos suaves de circulação.

    Para a consecução desta ação, para além da elaboração do projeto de execução, serão desenvolvidas obras da seguinte natureza:
    i) Reorganização das vias, conferindo-lhes características mais urbanas, dotando-as de condições que permitam a implementação de soluções de mobilidade urbana sustentável, nomeadamente, a mobilidade pedonal;
    ii) Reformulação das caraterísticas geométricas das vias por forma a melhorar as condições de segurança associadas à circulação automóvel e pedonal. Considera-se, de um modo geral, a materialização de passeios com larguras superiores e reformulação dos entroncamentos (elementos que proporcionam uma sensação de estreitamento da via, criando um efeito visual mais urbano, que procura inibir o condutor de adotar velocidades de circulação mais elevadas);
    iii) Melhoramento das condições do sistema de drenagem;
    iv) Reforço/ Reabilitação funcional do pavimento existente;
    v) Reformulação/ substituição do sistema de sinalização e de segurança.

    Resultados esperados:
    (i) Planos de mobilidade urbana sustentável implementados – 1 (2020);
    (ii) Corredores de elevada procura de transporte implementados - 1 (2020);
    (iii) Vias dedicadas às mobilidades suaves ou à redução de emissões de carbono - 1,39 km (2020);
    (iv) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88.787 Ton/CO2 (2023).

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Requalificação das Avenidas Tenente Valadim e Santo Amaro (PAMUS 1.6 e 1.7)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Requalificação das Avenidas Tenente Valadim e Santo Amaro (PAMUS 1.6 e 1.7)

    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000128
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 20-07-2018
    Data de início | 03-09-2018
    Data de conclusão | 31-12-2019
    Custo total elegível | 417.924,03€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 355.235,42€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A operação visa incrementar e potenciar as condições funcionais dos espaços de circulação destinados aos modos suaves de mobilidade pedonal dos arruamentos através a criação de um novo desenho viário que favorecerá a circulação pedonal e criará melhores condições de acessibilidade e comodidade, contribuindo, desta forma, para a redução da utilização dos meios motorizados e consequentemente para a diminuição das emissões de CO2. Para tal, serão requalificadas as Avenidas Tenente Valadim e Santo Amaro, numa extensão total de 676 metros, correspondendo a uma área total de 13.222 m2, dos quais 7.313 m2 se destinam aos modos suaves de circulação.

    A intervenção em causa consubstancia a realização de obras com os seguintes objetivos:
    i) Reorganização da via, conferindo-lhe características mais urbanas, dotando-a de condições que permitam a implementação de soluções de mobilidade urbana sustentável, nomeadamente a mobilidade pedonal;
    ii) Reformulação das caraterísticas geométricas da via (essencialmente ao nível do PT Tipo) por forma a melhorar as condições de segurança associadas à circulação automóvel e pedonal. Considera-se de um modo geral a redução da largura das faixas rodagem e a reformulação de entroncamentos e cruzamentos, proporcionando uma sensação de estreitamento da via. Cria-se assim um efeito visual mais urbano, inibindo o condutor de adotar velocidades de circulação mais elevadas. A redução da largura das faixas de rodagem proporciona igualmente o aumento das larguras dos passeios.
    iii) Reformulação geométrica das interseções contribuindo igualmente para reduzir a velocidade de circulação e melhorar a articulação com a rede viária existente;
    iv) Melhoramento das condições do sistema de drenagem;
    v) Reforço / Reabilitação funcional do pavimento existente;
    vi) Reformulação / substituição do sistema de sinalização e de segurança.

    Resultados esperados:
    (i) Corredores de elevada procura de transporte implementados - 1 (2020);
    (ii) Vias dedicadas às mobilidades suaves ou à redução de emissões de carbono - 0,68 km (2020);
    (iii) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88.787 Ton/CO2 (2023).

     

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Requalificação das Ruas Antunes Guerreiro, Inácio Pizarro e Longras e das Avenidas 5 de Outubro e Tâmega (PAMUS 1.3 e 2.2)

    Financiado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional


    Designação do projeto | Requalificação das Ruas Antunes Guerreiro, Inácio Pizarro e Longras e das Avenidas 5 de Outubro e Tâmega (PAMUS 1.3 e 2.2)
    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000126
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 24-08-2017
    Data de início | 14-12-2016
    Data de conclusão | 15-08-2019
    Custo total elegível | 1.112.122,07€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 945.303,76€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A operação visa incrementar e potenciar as condições funcionais dos espaços de circulação destinados aos modos suaves de mobilidade pedonal deste arruamento através a criação de um novo desenho viário que favorecerá a circulação pedonal e criará melhores condições de acessibilidade e comodidade, contribuindo, desta forma, para a redução da utilização dos meios motorizados e consequentemente para a diminuição das emissões de CO2. Para tal, serão requalificados os arruamentos “Rua Antunes Guerreiro”, “Rua Inácio Pizarro”, ”Rua das Longras”, “Avenida 5 de Outubro” e “Avenida do Tâmega”, adaptando 2,790 km da rede viária urbana numa área intervencionada de 42.150 m2, dos quais, 20.603 m2 serão destinados aos modos suaves de mobilidade (pedonal) prevendo-se, nomeadamente as seguintes ações:
    - Requalificação das Ruas Antunes Guerreiro e Inácio Pizarro - Esta intervenção, numa extensão total de 880,35 metros que contempla 6.523m2 de área destinada aos modos suaves de circulação, visa beneficiar a mobilidade pedonal e os aspetos funcionais da via, através do alargamento dos passeios, do reordenamento dos lugares de estacionamentos e do melhoramento da sinalização, bem como pela introdução de espécies arbóreas complementando o “alinhamento” de outras já existentes e deste modo, dotar a via de melhores condições de conforto e segurança para os utentes, contribuído para uma mobilidade urbana mais sustentável.
    - Requalificação da Rua das Longras, da Avenida de 5 de Outubro e da Avenida do Tâmega - Esta intervenção, com objetivos semelhantes à anterior, ocorre numa extensão total de 1.912,48 metros, contemplando 13.837m2 de área destinada aos modos suaves de circulação.

    Para a consecução desta ação serão desenvolvidas obras da seguinte natureza:
    i) A reorganização das vias, conferindo-lhe características mais urbanas, dotando-as de condições que permitam a implementação de soluções de mobilidade urbana sustentável, nomeadamente a mobilidade pedonal;
    ii) A reformulação das caraterísticas geométricas das vias por forma a melhorar as condições de segurança associadas à circulação automóvel e pedonal. Considera-se de um modo geral a supressão da via de sentido descendente (Rua Antunes Guerreiro) ou a redução da largura das faixas rodagem e a reformulação de entroncamentos e cruzamentos, proporcionando uma sensação de estreitamento da via, criando assim um efeito visual mais urbano, inibindo o condutor de adotar velocidades de circulação mais elevadas. A redução da largura das faixas de rodagem proporciona igualmente o aumento das larguras dos passeios;
    iii) A reformulação geométrica das interseções, contribuindo igualmente para reduzir a velocidade de circulação e melhorar a articulação com a rede viária existente;
    iv) A introdução de interseção giratória, que contribui para reduzir a velocidade de circulação e melhorar a articulação com a rede viária existente;
    v) O melhoramento das condições do sistema de drenagem;
    vi) O reforço/reabilitação funcional do pavimento existente;
    vii) A reformulação/substituição do sistema de sinalização e de segurança;
    viii) A arborização dos arruamentos, contribuindo para uma melhoria do conforto climático do espaço, segurança dos peões e simultaneamente para a qualificação visual dos arruamentos.
    Resultados esperados:
    (i) Planos de mobilidade urbana sustentável implementados – 1 (2018)
    (ii) Corredores de elevada procura de transporte implementados - 1 (2018);
    (iii) Vias dedicadas às mobilidades suaves ou à redução de emissões de carbono - 2,792km (2019);
    (iv) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88.787 Ton/CO2 (2023).

     

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Requalificação das Ruas Portas do Anjo, Alferes João Batista, Cruzeiro, Viscondessa do Rosário, e Fonte do Leite (PAMUS 1.1 e 3.1)

    Cofinanciado por:

    Fundo Desenvolvimento Regional

    Designação do projeto | Requalificação  Ruas Portas do Anjo, Alferes João Batista, Cruzeiro, Viscondessa do Rosário e Fonte do Leite (PAMUS 1.1 e 3.1)

    Código do projeto | NORTE-05-1406-FEDER-000132
    Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
    Região de intervenção | Norte
    Entidade beneficiária | Município de Chaves

    Data de aprovação | 06-03-2018
    Data de início | 20-03-2017
    Data de conclusão | 30-03-2020
    Custo total elegível | 646.717,89€
    Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 549.710,721€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

    A operação visa incrementar e potenciar as condições funcionais dos espaços de circulação destinados aos modos suaves de mobilidade pedonal deste arruamento através a criação de um novo desenho viário que favorecerá a circulação pedonal e criará melhores condições de acessibilidade e comodidade, contribuindo, desta forma, para a redução da utilização dos meios motorizados e consequentemente para a diminuição das emissões de CO2. Para tal, serão requalificadas cinco ruas “Portas do Anjo”, “Alferes João Batista”, “Cruzeiro”, “Viscondessa do Rosário” e “Fonte do Leite”, localizadas na freguesia de Santa Maria Maior, adaptando aproximadamente 1,515 km da rede viária urbana numa área intervencionada de 21.750 m2, dos quais, 10.360 m2 serão destinados aos modos suaves de mobilidade (pedonal).

    Com a intervenção pretende-se beneficiar a mobilidade pedonal e os aspetos funcionais da via, “alargando” os passeios, reordenando os lugares de estacionamentos e melhorando a sinalização da via. Prevista ainda a introdução de espécies arbóreas complementando-se o “alinhamento” das existentes. Procurou-se igualmente minimizar os conflitos nas transições entre zonas de sentido único e zonas de dois sentidos. A faixa de rodagem da via passará a dispor de 4,0m de largura quando associada a trechos de sentido único e 6,0 m de largura em trechos com dois sentidos de circulação. Os estacionamentos materializados longitudinalmente são adjacentes à faixa de rodagem da via, num corredor de 2,25 m. Os lugares de estacionamento existentes são na generalidade mantidos, sofrendo no entanto, em algumas situações, ajustamentos na sua implantação. De um modo geral os passeios terão largura variável, com um mínimo de 1,5m. Nas zonas com menor largura disponível admitiram-se pontualmente pequenos troços onde os passeios têm largura inferior a 1,5m, passando os estacionamentos longitudinais a dispor de 2,0m de largura e a faixa de rodagem de 3,75 m. De realçar a intervenção em duas rotundas existentes, a primeira na interseção da rua Alferes João Batista e rua das Portas do Anjo, designada por Rotunda 1, e a segunda no cruzamento da Rua Fonte do Leite com a Avenida Marechal Carmona, designada por Rotunda 2. Na Rotunda 1 pretende-se evitar o estacionamento desordenado (junto ao “Pingo Doce”), através do alargamento dos passeios que passarão a conferir um limite exterior circular à rotunda, contribuído para melhorar o seu funcionamento e prevenindo o estacionamento no espaço sobrante. Na Rotunda 2 é materializado um ilhéu separador associado a uma via segregada no sentido Avenida Marechal Carmona – Rua Fonte do Leite, reformulando-se assim a geometria existente. Ainda de referir que se procura com o presente projeto disciplinar a entrada na designada Rotunda 1 dos veículos provenientes da R. Alferes João Batista e da Av. dos Bombeiros Voluntários, que passam a confluir na mesma faixa de rodagem, para aceder à plataforma da rotunda. Considerou-se ainda a melhoria do acesso à Rua do Pessegueiro a partir da Avenida dos Bombeiros Voluntários. Com efeito corrige-se a o que sucede atualmente, em que os veículos efetuam o atravessamento da Rua Alferes João Batista com um movimento bastante oblíquo (praticamente em “contra-mão”).
    Resultados esperados:
    (i) Planos de mobilidade urbana sustentável implementados – 1 (2020);
    (ii) Corredores de elevada procura de transporte implementados - 1 (2020);
    (iii) Vias dedicadas às mobilidades suaves ou à redução de emissões de carbono - 1,515 km (2020);
    (iv) Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa – 88.787 Ton/CO2 (2023).

     

    BARRA_FINAL2_1_1000_1000

     

  • Sistemas de águas residuais (SAR) de Chaves – Ligações entre os sistemas em alta e os sistemas em baixa – Emissários do Parque Empresarial, Translar e Sistema Elevatório de Curalha

    POSEUR_2020_UE_690B

    Designação do projeto: Sistemas de águas residuais (SAR) de Chaves – Ligações entre os sistemas em alta e os sistemas em baixa – Emissários do Parque Empresarial, Translar e Sistema Elevatório de Curalha

    Código do projeto: POSEUR-03-212-FC-000331

    Objetivo principal: Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos

    Região de intervenção: Norte

    Entidade beneficiária: Município de Chaves

    Data de aprovação: 27-02-2017

    Data de início: 01-01-2017

    Data de conclusão: 31-12-2018

    Custo total elegível: 239.284,50€

    Apoio financeiro da União Europeia Fundo de Coesão: 203.391,82€

    Apoio financeiro público nacional/regional: 35.892,68€

    Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos:
    A presente operação visa a execução de um emissário e um sistema elevatório inseridos no Sistema de Águas Residuais de Chaves (SAR de Chaves), designadamente:

    • Emissário do Parque Empresarial de Chaves (PEC) que se destina a substituir uma unidade de tratamento, de carácter provisório, instalada no PEC, interligando a rede de drenagem ao emissário do Tâmega;
    • Sistema elevatório de Curalha, composto por uma estação elevatória e respetivas condutas, que se destina a substituir a unidade de tratamento (fossa sética), atualmente existente no SAR de Curalha, interligando esse sistema de águas residuais no SAR de Chaves.

    As ações propostas constituem uma complementaridade alta/baixa, permitindo a otimização da utilização da capacidade instalada pelas Águas do Norte, bem como, o aumento do grau de cobertura do SAR de Chaves e da eficácia da unidade de tratamento (ETAR de Chaves), garantindo-se deste modo a melhoria da massa de água na bacia hidrográfica do rio Tâmega.

    Resultados esperados:

    • Extensão dos Sistemas de Drenagem de Águas Residuais a construir (3,77 Km);
    • População adicional servida pelas melhorias do sistema de saneamento de águas residuais em baixa (1.211 equivalente de população/1.211 pessoas);
    • N.º de Estações Elevatórias construídas (1 Estação Elevatória);
    • % de Alojamentos abrangidos com avaliação satisfatória no cumprimento dos parâmetros de descarga (5,48%).

    BARRA_FINAL